top of page
  • Foto do escritorVan

Almoço executivo



Eu saí com um cara do Nordeste, mas que vinha para SP de vez em quando a trabalho. Quando a gente se conheceu, durante um curso, a gente se pegou, foi muito bom, mas não transamos. E eu achei que ficaria por isso mesmo. 

 

Mas uns dias depois ele me liga, lá do Nordeste, no meio da tarde, perguntando umas coisas ligadas ao meu trabalho, que eu nem soube responder, porque nem era da minha área. Mais tarde naquele mesmo dia, eu estava num happy hour e começo a receber mensagens dele. Ele confessou que tinha me ligado só para poder falar comigo. Quando li fiquei toda acesa. Até fui ao banheiro para poder trocar mensagens com ele focada. E deixar minha boceta ficar molhada de tanta animação. A conversa acabou com ele meio ordenando que, na próxima vez em que ele estivesse em SP, a gente se encontraria.  

 

E assim aconteceu. Cerca de uma semana depois dessas mensagens, ele teve que vir e marcamos direto no hotel dele, umas 11h. Eu já esperava que seria o vulgo “almoço executivo”, uma rapidinha na hora do almoço.  

 

Ele me encontrou no lobby, subimos até o quarto dele dando aqueles beijões que você não consegue distinguir quem tá querendo engolir quem. 

Eu já fiquei muito muito muito excitada só com essa viagem de elevador. 

Entramos no quarto e ele já foi tirando minha roupa. Foi tudo apressado, mas eu estava com tanto tesão que nem liguei. Ele tirou a roupa dele, colocou uma camisinha e me colocou de quatro na cama. Meteu em mim assim por 1 min no máximo. Quando eu estava começando a gostar, ele me deitou de costas, veio por cima e a gente deve ter ficado nesse papai e mamãe por mais 1 min ou 2. Em seguida ele sentou na cama e me colocou por cima. Fiquei feliz, porque, na época, eu curtia bastante essa posição, costumava ter os orgasmos mais gostosos assim. Mas durou coisa de mais 1 min mais ou menos e ele gozou. Aí eu saí de cima dele, ele deitou, eu deitei do lado dele e ele me enlaçou com um braço, tipo fazendo chamego pós-sexo. Ou seja, a ação toda levou de 3 a 5 min, ele teve o orgasmo dele e simplesmente cagou pro meu. Não estou de brincadeira, foi exatamente assim. E ele nem esboçou nada na intenção de me fazer gozar. NA-DA. Na hora não externei nenhuma reação, mas dentro da minha cabeça eu gritava: “Oi???? É isso? Acabou? E eu?!?!?!” 

Como ele estava sendo fofinho, fiquei ali um tempinho fazendo carinho nele, ele em mim e eu comecei a pensar que de repente ele estava muito no atraso, precisava muito gozar...  

Depois da gente conversar um pouquinho, comecei a beijar ele no pescoço, na boca e ele entendeu que eu queria uma segunda trepada. Quem sabe na 2ª vai ser mais legal, ele já vai estar mais calmo, vai ser prazeroso pra todo mundo, eu pensei. Logo o pau dele ficou duro, ele sacou outra camisinha, eu toda animadinha, ele montou em mim e aconteceu exatamente a mesma coisa – ele aguentou uns 3 min no máximo, gozou e nem pra fazer nada por mim! DE-NO-VO.  

 

Aí eu não consegui disfarçar. Eu até já sabia que ia ser uma rapidinha, mas não nesse nível. Coloquei minha roupa, ele perguntou se eu queria pedir alguma coisa pra almoçar com ele lá e eu recusei. Não fui grossa, mas eu não sei disfarçar muito minhas emoções. Devia estar patente na minha expressão facial que eu não estava feliz e percebi que ele percebeu que eu não tinha curtido. Fui embora, no mesmo dia trocamos algumas mensagens cordiais e depois nunca mais. 

Eu não iria dar outra chance para ele, e ele devia estar envergonhado ou puto comigo ou sei lá o quê.  

 

Nos dias seguintes, fiquei só pensando coisas como: ele não deve transar com quase ninguém, pra ter ejaculação precoce desse jeito; eu, sinceramente, não ligo pra ejaculação precoce (até porque penetração não tem que ser o mais importante no sexo), contanto que o cara minimamente se preocupe com meu orgasmo; em que mundo que ele vive onde sexo é só ele gozar?  

 

Foi tudo bem confuso para mim, porque ele não foi um total escroto comigo (exceto pelo total egoísmo) do tipo fazer coisas para me mandar embora assim que ele tinha terminado. Não, ele foi fofo, queria que eu ficasse mais lá, então fiquei achando que talvez ele não saiba que mulher goza quando transa também. Vai saber o que ele aprendeu na vida...  

E eu fiquei sem saber se ficava com raiva ou dó dele. 

 

190 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page