top of page
  • Foto do escritorVan

MELHORES FÉRIAS DA VIDA (OU TOP 5, PELO MENOS)

Caraíva, na Bahia, e Jericoacoara, no Ceará, ganharam um lugar especial no meu coração

Para chegar nas férias em que eu vivi, de forma intensa, muita energia boa, muito amor, muito autoconhecimento, muitas lágrimas de alegria e gratidão, muita conexão com a natureza e com o universo durante a primeira metade e muito sexo, muitos orgasmos (digo MUITOS mesmo), muita liberdade, honestidade, parceria e conexão com um homem na segunda parte, eu preciso contextualizar a minha situação atual.


Depois de mais de 20 anos entre namoro e casamento - ou seja, depois de estar com uma só pessoa durante toda minha vida adulta, considerando que tenho 38 anos no momento em que estou escrevendo este texto -, eu me separei e entrei no mundo dos apps de relacionamento. O que tem sido incrível para mim, porque eu pude conhecer pessoas novas, beijar novas bocas, sentir novos cheiros e trocar fluidos com alguns caras. Um deles, um dos primeiros com quem me permiti fazer sexo na primeira noite, é o PA com quem passei parte das minhas férias.


Mas voltando à primeira parte da viagem, tudo se desenhou num anúncio do instagram ou coisa do gênero. O Festival Novo Mundo, em Caraíva, apareceu e pareceu ser justamente o que eu precisava. Sem muitos detalhes de como seria, sabendo apenas que haveria 5 dias de palestras, cujos temas eu só tinha uma ideia genérica de que seria sobre sustentabilidade, paz e amor (eu brincava dizendo para meus amigos que eu ia para um festival que poderia ser chamado de Festival Hippie) e que aconteceria num lugar paradisíaco, decidi ir e comprei meu ingresso, mesmo sem nenhuma das minhas amigas terem se interessado a se juntar a mim.


Estando numa fase de experimentar tudo o que a vida tem me oferecido, ir sozinha para Caraíva foi super importante. Agora solteira, sou uma mulher que faz as coisas que quer, com ou sem companhia. E, assim, durante o Festival pude ter essa oportunidade de ficar só comigo, de sentir muitas emoções e avançar na minha jornada de evolução pessoal e de me encontrar enquanto mulher independente (lembre-se de que eu, adulta, nunca fiquei sozinha). Com uma amiga junto comigo, ainda poderia ter sido incrível, mas com certeza seria diferente.


Assim, nos primeiros dias de novembro, foram muitas vivências ligadas ao feminino, aulas de yoga, trocas, espiritualidade e amor. Sem quase tempo e energia extra para explorar a vila em si, mergulhei de cabeça no que foi, para mim, uma experiência inédita. Eu podia sentir, no meu corpo, a energia que era criada (ou trocada, ou expandida, ou seja lá o que for) durante as atividades do Festival. Efeito de sugestão ou não, as minhas emoções estavam à flor da pele e meu corpo vibrava, literalmente. Acho que ainda não posso predizer o que tudo isso vai mudar no meu comportamento, mas sem dúvida vai mudar alguma coisa.


Além de 2 mulheres que conheci e com quem troquei whatsapp, não me conectei com mais ninguém. Apesar de sair de São Paulo com uma leve expectativa de conhecer homens e talvez transar durante esses 5 dias, lá eu não tive nada na mente além do que ia me tocando e impactando durante as palestras e workshops, o que não tinha, definitivamente, nada a ver com sexo casual. Além disso, o público era majoritariamente feminino e quase todos os homens participantes estavam com suas companheiras.

Mas o que me cabia de sexo nestas férias estava guardado! Ao deixar Caraíva com um misto de “luto” pelo fim do Festival e excitação para chegar logo em Jericoacoara e reencontrar meu PA, eu sabia que os próximos dias seriam legais, mas não imaginava o quanto.


Eu já tinha conhecido Jeri há alguns anos e desta vez eu voltava para uma viagem completamente diferente. Visitar os pontos turísticos e tirar lindas fotos desses lugares não era o objetivo, como sempre foi nas minhas viagens de férias. Agora, o propósito de ir ao Ceará era estar junto de uma pessoa que eu nem sonhava em conhecer há 2 meses.


Meu PA tira férias para fazer kitesurf, o que foi mencionado no nosso primeiro encontro. E depois de alguns encontros intensos (sempre terminando em sexo) em que a nossa sintonia ficou clara, eu acabei me convidando para acompanhar as próximas férias dele, o que, felizmente, ele achou que era uma boa ideia. Até falou que estava pensando em me convidar, mas isso nunca saberemos...


Fato é que eu estive com ele por 7 dias e 6 noites, que foram simplesmente maravilhosos. E penso que o advérbio “simplesmente” é realmente o mais apropriado, porque nossa relação é muito fácil, sem drama, sem amor romântico, sem ciúme, resumindo: descomplicada. É, simplesmente (mais uma vez), tudo o que preciso na minha vida agora.


Confesso que, por um breve período, fiquei receosa se ficar todos esses dias juntos, ainda que em quartos separados, não poderia desgastar o que temos. Mas, no fim, foi um período perfeito! Da minha parte, até poderia ficar mais. Foram muitas conversas abertas e honestas (que abordavam tantos assuntos que às vezes até brincávamos que era sessão de terapia), muitas risadas, muita diversão, um tanto de álcool e uma porrada de camisinhas usadas. E, de novo, sem nada da parte ruim de estar envolvido com alguém. Quem é que não aguenta mais uns dias disso, né?


Com ele eu me sinto muito à vontade e tenho a total liberdade de falar sobre qualquer coisa, sem julgamento, sem sentir vergonha, sem medir palavras. É a relação mais sincera que eu já tive com um homem.


Termino minhas férias repleta de amor. Amor espiritual, amor sexual, amor entre amigos, entre mulheres, amor próprio. Só de lembrar sinto meu peito aquecido. Eu já viajei para vários lugares no Brasil e no mundo, mas nunca tive uma viagem como essa. Para olhar para meu interior e poder me conhecer melhor. Isso em ambas as partes das minhas férias, porque o contato tão íntimo - em todos os sentidos - com um homem que era um estranho há tão pouco tempo também me fez me descobrir. Eu não achava que eu seria capaz de me abrir e manter uma relação assim, sem me apegar, com alguém. Na verdade, eu nem sabia se isso seria possível para qualquer pessoa, mas vi e senti que é. E é bom demais!


Agora volto plena para casa. Com a certeza de que dizer sim ao universo e viver o presente é sempre a melhor estratégia.



*para xs interessadxs, o site do Festival Novo Mundo é https://www.festivalnovomundo.com/

278 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

댓글


bottom of page